13.8.19

Why should you have a uniform?



Desde maio que não partilhava um look meu aqui! Oh-Meu-Deus!!!! IMENSO!!! Acho que nunca estive tanto tempo sem publicar por cá os meus outfits, mas a verdade é que não tenho tido tempos mortos para conseguir fotografar. Quando tenho tempo não tenho fotógrafo disponível.
Este foi o look que usei no jantar do meu aniversário, há mais de um mês, I know, e é daqueles looks bem simples mas que resultam sempre lindamente. Eu adoro este tipo de combinações. E não podia ser mais apropriado aos últimos meses que têm sido non stop. Confesso que cada vez mais sou adepta de deixar pronta a roupa que vou vestir no dia seguinte antes de dormir. Pensar no que vou vestir antes de sair para o trabalho acaba por me gastar demasiados minutos, ainda não estou bem acordada, tenho o raciocínio lento, noto que perco mais tempo quando na verdade o que eu queria era ainda estar a aproveitar a cama! Não sei se são como eu ou não, mas este tipo de combinações salva-me os dias, ou melhor, uns minutos a mais na cama pela manhã. E agora lembrei que esta necessidade de ter um "uniforme" é coisa comum em determinados homens e mulheres de sucesso, que usam sempre as mesmas peças de roupa, porque acabam por gastar menos tempo do dia a escolher o que vestir, investindo esse tempo noutras tarefas que agregam mais valor. Estou certa que já ouviram falar disto, se não pensem lá no Steve Jobs e no seu uniforme, sempre de camisola preta, jeans e sapatilhas! Quem aí também tem um conjunto "salva vidas"? (ou salva manhãs!)

Since May I didn't share an oufit here! Oh my God!!!! IMMENSE!!! I think I've never been so long without publishing my outfits here, but the truth is that I haven't had dead time to photograph. When I have time I have no photographer available.
This was the look I wore at my birthday dinner, over a month ago, I know, and it's one of those very simple looks that always work beautifully. I love this kind of combinations. And it couldn't be more appropriate to the last months that have been non stop. I confess that I'm increasingly adept of getting ready the clothes I will wear the next day before going to bed. Thinking about what I'm going to wear before I leave for work ends up taking me too many minutes, I'm not wide awake yet, I have slow thinking, I notice that I lose more time when in fact what I wanted was to still be enjoying the bed! I don't know if you are like me or not, but this kind of combination saves my days, or rather a few more minutes in bed in the morning. And now I remember that this need for a "uniform" is common in certain successful men and women who always wear the same garments because they end up spending less time choosing what to wear and investing that time in other tasks that add the most value. I'm sure you've heard of this, if you don't think about Steve Jobs and his uniform, always in a black turtleneck, jeans and sneakers! Who there also has a "life saving" set? (or save mornings!)








camisa.shirt Zara | jeans Levi's | sapatos.shoes Zara | anéis.rings Pandora | brincos.earrings H&M |  mala.bag Parfois | óculos de sol.sunglasses Gucci by Ergovisão

31.7.19

Jo's Co #24



Quem os viu e quem os vê. Esta é a Marta, a minha irmã, que aliás já conhecem. Com ela está o Tiago, o namorado dela. Não foi fácil convencê-lo a estar aqui. Sim, porque nem toda a gente tem o mesmo à vontade para estar num sítio público a ser fotografado. Mais do que isso saber que as fotos vão parar a um blog de moda. Eu sei que podem pensar “Yah, tá tudo, já ninguém lê blogs, tranquilo…”, mas vos garanto que mesmo sem partilhas tão frequentes, há por aqui meses que nem sei de onde surgem tantas visualizações, muitas mais do que nos tempos áureos desta plataforma. Mas voltando ao início, lá consegui apanha-lo aqui para vos mostrar que ele mudou, ele e ela, que veio por arrasto quase como uma consequência de “não quero aparecer sozinho”. E mudou em termos de estilo, evoluiu, como quase toda a gente evolui, e ainda bem que evoluiu e bem, para melhor! Sim, há dias deparei-me com uma foto deles lá em casa e hoje estão claramente melhor do que há uns anos. E já que no mês passado não houve publicação, esta surge em dose dupla!
Entretanto tenho outros alvos na mira, quero fotografar mais vezes o meu namorado que tem uma pinta descomunal, juro que às vezes nem o entendo, onde foi buscar tanto sentido estético? Ele e alguns amigos. Martins, Rúben Valente, qualquer dia apanho-vos!

Who saw them and who sees them. This is my sister, Marta, who you already know. With her is Tiago, her boyfriend. It was not easy to convince him to be here. Yes, because not everyone is comfortable with being photographed in a public place. More than that knowing that the photos will be on a fashion blog. I know you might think “Yah, that's all, no one reads blogs, easy…” but I assure you that even without such frequent sharing, for months now I don't even know where so many views come from, many more than in the golden times of this platform. But back to the beginning, I managed to catch him here to show you that he has changed, he and she, who came by drag almost as a consequence of "I don't want to appear alone". And they has changed in terms of style, it has evolved, as almost everyone has evolved, and thankfully it has evolved and well, for better! Yes, some days ago I came across a picture of them at home and today they are clearly better than a few years ago. And since last month there was no publication, it comes in double dose!
However I have other people I want to show you here, I want to photograph more often my boyfriend who has a huge style, I swear sometimes I don't even understand him, where did he seek so much aesthetic sense? He and some friends. Martins, Rúben Valente, I will catch you someday!



TIAGO t-shirt Massimo Dutti | calças.trousers Zara | sapatilhas.sneakers Axel Arigato | relógio.watchs Seiko
MARTA vestido.dress Zara | sandálias.sandals Zara | pulseira.bracelet Bimba Y Lola | brincos.earrings Bimba Y Lola

24.7.19

Trend alert #25



1. casaco.jacket Mango Outlet | 2. t-shirt Mango Outlet | 3. blazer Mango Outlet | 4. blusa.blouse Mango Outlet | 5. calções.shorts Mango Outlet
photo credits: Style du Monde

Linho
Há lá tecido mais apetecível que o linho nos dias quentes? Talvez, a seda e o algodão são igualmente sinónimo de roupas frescas e adequadas a dias com os termómetros a bater recordes. Mas de volta ao início, o linho está para os dias quentes como a pele e a malha estão para os dias frios. É um tecido clássico, sustentável, respirável e com um toque rústico, tudo características que cada vez mais agradam à geração millennial da qual faço parte. (sim, esta consciência ecológica está cada vez mais presente nas nossas escolhas)
O único senão é o facto de amarrotar facilmente, mas até acho que confere alguma personalidade à peça e lhe dá um certo charme! Há imensas opções nas lojas hoje em dia, escolhi aqui peças da Mango Outlet, todas elas em duas das tonalidade que mais gosto de ver neste tecido, a par do branco e do preto.

Linen
Is there any more desirable fabric than linen for hot days? Perhaps, silk and cotton are also synonymous with fresh and suitable clothes for days with record-breaking thermometers. But back to the beginning, the linen is for the hot days as the skin and the knit are for the cold days. It's a classic fabric, sustainable, breathable and with a rustic touch, all characteristics that more and more please the generation millennial of which I'm part. (yes, this ecological awareness is increasingly present in our choices)
The only drawback is the fact that it crumbles easily, but I think it adds some personality to the piece and gives it a certain charm! There are lots of options in stores nowadays, I chose Mango Outlet's pieces here, all of them in two of the tones I like to see in this fabric, along with white and black.

15.7.19

Sardenha #3



Costa de Baunei
As praias que escolhemos visitar ficam na Costa de Baunei. Há imensas praias recomendadas em toda a ilha mas devido à proximidade do resort escolhemos ficar pela costa de Baunei.

A Cala Goloritzé foi a primeira praia que procuramos visitar. É uma praia com areia e certamente uma das mais recomendadas. Fomos de carro pela encosta da serra de Baunei, passamos no centro da vila, bem pitoresca e com ruas apertadinhas. As estradas, na sua maioria, são alcatroadas e por isso os acessos são bons. Andamos bastante pela serra e entre curvas e contracurvas encontramos uma série de animais. A certa altura o gps orientou-nos por um caminho de terra batida que nos levava até um largo onde há um restaurante e um parque para estacionar. Estávamos no acesso à Cala Goloritzé. No início do acesso há uma banca e uma cancela onde cobram a entrada de 6€ por pessoa e são precisos sapatos ou sapatilhas para descer. Leva uma hora para descer e na praia não vão encontrar nada além de areia, rochas e mar. Não há restaurantes nem bares e se descerem até lá têm de levar água e comida, lembrando que há uma hora limite para regressar (por volta das 17h acho). O regresso leva ainda 1h30, a subir pelo meio da encosta da serra.
Como não tínhamos sapatilhas recomendaram-nos outra praia próxima onde podíamos ir…

Preda Longa
De volta ao carro fomos até à praia da Pedra Longa. Uma vez mais o acesso é bom, sempre alcatroado até ao largo de acesso à praia onde podem estacionar gratuitamente. O parque não é enorme, mas não tivemos dificuldade nenhuma em estacionar. É uma praia de rochas, com vários sítios para mergulhar bem fundo! Encontramos algumas pessoas nesta praia, havia imensa gente a fazer escalada em várias rochas da Pedra Longa, achei que era uma praia menos familiar, mais radical, mas bem agradável. Junto ao estacionamento há um restaurante, o Trattoria Pedra Longa, onde almoçamos. Optamos por ficar na esplanada (pagamos uma taxa de 10% extra por isso) que tem uma vista brutal para a praia e toda a serra. Foi muito agradável mesmo. Estava calor mas a mesa onde ficamos estava debaixo de uma oliveira. A comida, uma vez mais, estava deliciosa! Aqui começamos a familiarizar-nos com o habitual “prego” dos empregados! Não tem tradução directa para português nem sei explicar-vos bem o que significa mesmo depois do que pesquisei, mas se estiverem por Itália vão ouvir esta palavra frequentemente.

Ah, nas refeições vão encontrar muitas vezes o carasau, uma espécie de pão que é típico da Sardenha. Fininho e estaladiço, muito bom!!

Depois do almoço encontramos uma espécie de parque com mesas e bancos para piqueniques. Estava numa zona com sombra e foi o local perfeito para descansar depois do almoço.
Já de tarde fomos mergulhar de novo. A água é bem mais salgada e até me fez arder os olhos, mas habituava-me facilmente a um mar assim, limpo, muito limpo, sempre a permitir ver o fundo, calmo e com uma temperatura muito agradável!

Aluguer de barco
Depois das várias reviews que li e mesmo em conversa com amigos que já tinham estado na Sardenha, percebemos que seria boa ideia alugar barco por um dia. Algumas praias na ilha são acessíveis apenas de barco, sendo que isso se aplica a quase todas as praias da costa de Baunei.
Pesquisamos na net e decidimos ir até à marina de Santa Maria Navarrese alugar o nosso barco. Fomos lá num dia e reservamos o barco para o dia seguinte. É a melhor opção porque podem chegar e já não encontrar barcos disponíveis, por isso não perdem nada em reservar com antecedência. Optamos pelo barco com tecto, uma espécie de telhado amovível em lona, uma vez que íamos estar no barco desde as 9h até às 17h. Por ter tecto ficou 30€ mais caro mas achamos que era essencial. Podíamos alugar o barco com condutor ou sem, e o barco onde andamos tinha capacidade para 4 pessoas. Não sei qual das opções ficava mais em conta mas alugamos o barco sem condutor. Foi-nos dada uma breve instrução de como conduzir o barco, que é bem mais fácil do que pensei, e todas as regras que devíamos respeitar, como levantar a hélice quando ancorássemos perto de rochas, ou saber em que praias podíamos ancorar e em que condições, etc. Para aluguer do barco tivemos apenas de apresentar a nossa carta de condução automóvel.

Deixem-me dizer-os que foi o dia que mais curtimos das férias. Saímos do porto bem cedo, levamos snacks para almoçar e lanchar, e desde o porto até à Cala Luna, a última praia onde podíamos ir, levamos mais de 3 horas. Passamos pela Pedra Longa, onde tínhamos estado dois dias antes, pela Cala Goloritzé, onde nem sequer podíamos ancorar o barco, pela  Cala Biriala, Cala Sisine, entre outras, a ainda pelo acesso à Grotta del Fico.

Fomos parando pelo caminho para apreciar a vista e dar uns mergulhos. A última praia onde ancoramos, a Cala Luna, foi onde estivemos mais tempo. Nessa praia podíamos ancorar a 8 metros da costa, tendo em atenção a colocação da âncora para evitar que ficasse presa nas rochas (mas nesta praia é fácil!). Nem vos sei descrever o quão bonita é toda esta costa. Fez-me lembrar as praias da Arrábida mas com água mais limpinha e quente! Demos imensos mergulhos, ainda nadei até à costa e foi muito agradável mesmo. Na volta, sem paragens, demoramos 1h30 atá à marina.

Nesta praia e na Cala Mariolu (Ispuligidenie) há um ferriboat que traz pessoas de um ponto mais a norte e as deixa num terminal de acesso à praia, por isso não estávamos sozinhos nunca, além de que andava por lá imensa gente em barcos mais pequenos como o nosso.

É uma experiência que totalmente recomendo! Vão desfrutar muito mesmo!!!


















11.7.19

Sardenha #2



Arbatax Park Resort

Arbatax fica na província de Tortolì, na costa este da ilha. É uma vila pequena, com pouco mais de 5000 habitantes. É lá que se situa o resort onde ficamos e é muito fácil chegar até ele, quando estiverem perto vão encontrar indicações em todos os cruzamentos.
Foi a nossa primeira vez num resort e gostei muito. É um 4 estrelas e optamos por regime com pequeno almoço e jantar. O resort tem praias privadas, umas com areia e outras com rochas, restaurantes, piscinas, campos de ténis, estacionamento, spa, bares, animação e ainda um parque, o Parc Bellavista, com diversos animais onde podem fazer uma espécie de safari.
Não tivemos tempo para aproveitar todas as opções que estavam disponíveis, mas adoramos a nossa estadia.
(As fotos que se seguem são de alguns espaços do resort, aproveitei a insónia do último dia e fotografei sem pessoas. Não tirei fotos aos restaurantes e bares, mas gostei imenso de tudo o que comi!)

O resort está dividido em cinco segmentos, Cottage (com quartos e chalés muito perto da praia que podem acomodar até 4 pessoas), Dune (com quartos independentes em forma hexagonal localizados numa zona panorâmica com vista mar, alguns a 10m da praia), Telis (com quartos individuais localizados na colina com vista mar), Borgo Cala Moresca (que recria uma vila típica da Sardenha) e Monte Turri (o segmento de luxo do resort). Cada um deles tem especificações que os tornam diferentes, como a localização ou o acesso a restaurantes exclusivos.

Ficamos hospedados na categoria Telis, onde dispúnhamos de um quarto com casa de banho e varanda. A decoração é rústica, bem ao estilo da Sardenha, mas muito acolhedora! Não sentimos falta de nada, havia armário, frigorífico, cofre, mesa com cadeiras na varanda e estendal para pormos as toalhas de praia e os fatos de banho a secar. Parece simples mas foi essencial! A zona do nosso quarto ficava muito próxima das praias, piscinas e restaurantes (300m aproximadamente).

Aproveitamos sempre o pequeno almoço no restaurante do hotel. Almoçamos sempre fora porque saíamos depois do pequeno almoço para ir a outras praias. Ao fim do dia regressávamos para jantar. No restaurante do hotel onde podíamos jantar havia sempre buffet, e eu adorei, porque gosto sempre de experimentar comidas novas e assim conseguia provar um bocadinho de tudo e mais alguma coisa. Também tínhamos uma série de sumos, águas e cerveja à disposição. Só as sobremesas deixaram a desejar, provei duas e não achei deliciosas, mas como raramente como sobremesa, sinceramente, nem senti falta. Estava com algum receio quanto às refeições no hotel porque as reviews que li não eram maravilhosas mas não tive razão de queixa, tudo o que comi estava bem bom e não faltava quantidade!

Para nos deslocarmos no resort, do quarto até ás praias e ao restaurante e recepção, íamos sempre a pé. O resort é grande, mas fica tudo bem próximo. Da recepção até à entrada principal, que já fica mais distante, usávamos o Boboi, uma espécie de autocarro sem tecto que passava na recepção da nossa zona a cada 20 minutos, ia parando pelas várias recepções e estacionamentos até à entrada principal do resort. Neste trajecto tínhamos ainda um pequeno desvio pelo parque natural, dava sempre para espreitar alguns animais!

















Via Capri 49, 08048, Arbatax (OG)